O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Mercado imobiliário fica estável em BH

Publicado em: Diário do Comércio - ECONOMIA
Publicação: 08/03/2014
texto: Andréa Rocha
Link da página.


Nos últimos meses, o setor imobiliário em Belo Horizonte tem se mantido estável, sem grandes oscilações nos preços para venda.  o que observa o presidente da Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG), Evandro Negrão de Lima Júnior.

Segundo ele, ao contrário do que indicou a pesquisa Fipe Zap de Preços de Imóveis Anunciados, referente a fevereiro, de desaceleração em praticamente todo o país, "os preços estão até subindo, variando pouco mais que a inflação". A pesquisa Fipe Zap, referente a fevereiro, indicou que o valor do metro quadrado anunciado na internet aumentou 0,57% nas 16 cidades pesquisadas, o que significou uma desaceleração em relação à alta de 0,77% apurada em janeiro.

Em Belo Horizonte, ainda segundo a Fipe Zap, a variação foi de 0,4% ao mês; de 0,7% no ano, de 7,7% no acumulado dos últimos 12 meses e de 41,4% no acumulado de 36 meses. Ainda segundo a pesquisa, em fevereiro, cidades como Brasília e Curitiba registraram queda de 0,3% e 0,1%, respectivamente.

"Mas esse índice não traduz muito bem o mercado, pois a base de pesquisa é apenas os imóveis anunciados", pontua Negrão de Lima Júnior. Segundo ele, essa base é muito volátil, pois se um imóvel mais caro anunciado há muito tempo é retirado da venda, há muita alteração no resultado. O que se tem percebido, segundo ele, é que o mercado na capital mineira está "sustentável", com boa margem entre imóveis vendidos e em estoque.

Pesquisa realizada pela CMI/Secovi-MG em parceria com a Geoimóvel, apontou queda no volume de imóveis lançados nos últimos dois anos, o que tem contribuído para a manutenção dos preços e até para uma ligeira elevação, "um pouco acima da inflação". Enquanto em 2010 o número de apartamentos lançados foi de 9.307, aumentando para 9.696 em 2011, nos anos seguintes, caiu pela metade.

Em 2012 foram lançados 5.151 imóveis residenciais contra 2.933 no ano passado. Segundo Negrão de Lima Júnior, não se trata de uma estratégia do mercado para manter os preços aquecidos, mas, sim, da própria dinâmica do segmento. Tanto em virtude do grande número de imóveis entregues nos últimos anos, quanto pela própria demora de aprovação dos novos projetos junto à prefeitura. No final de 2013, o estoque era de 4.353 apartamentos residenciais.

Usados - Segundo o portal Agente Imóvel, que pesquisa os usados anunciados pela internet, em fevereiro os preços em Belo Horizonte recuaram 0,45%, de R$ 4.852/metro quadrado em janeiro, para R$ 4.830/m2. Na Savassi, no entanto, houve alta de 1,73%, chegando a R$ 10.973/m2.

Foram valorizados também os imóveis nos bairros Funcionários (R$ 8.848/m2), Santo Agostinho (R$ 8.703/m2), Lourdes (R$ 8.570/m2), Carmo (R$ 7.724/m2), Belvedere (R$ 7.724/m2), Barro Preto (R$ 6.689/m2), Luxemburgo (R$ 6.681/m2), Liberdade (R$ 6.678/m2) e Estoril (R$ 6.672/m2).




Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Minas Gerais - Rua dos Carijós, 244 - 10º andar - Centro - CEP 30120-060 Belo Horizonte - Minas Gerais - Telefone: (31) 3271-6044 W3x